>> Garanta seu Planejamento de Estudos clicando aqui <<



1- Considerando suas características formais e semânticas…

Temos um crônica, um texto eminentemente narrativo. Gabarito letra B.

2- Analise o título do texto…

O título “Trapezista” se refere à comparação feita pelo protagonista: “o casamento é como um número de trapézio, um precisa confiar no outro até de olhos fechados”. Gabarito letra B.

3- No que diz respeito à perspectiva sob a qual é apresentado…

A narrativa é toda feita da perspectiva do narrador-protagonista, o homem que tenta justificar uma suposta foto sua no carnaval. Então, naturalmente a reposta deveria ser “unilateral”, pois a narração é feita sob sua perpectiva. Contudo, há trechos que “simulam” ou “sugerem” as possíveis respostas da mulher, o que daria margem para pensar em “dois lados”, “duas perspectivas”, ambilateralidade. De qualquer forma, como o enunciado fala de “recorte”, a resposta deve ser “unilateral”, um recorte feito pelo autor, segundo seu próprio ponto de vista.

4- Sobre a construção do texto…

I- O discurso do personagem não é todo coerente e coeso. Ele cai em contradição em alguns momentos e se compromete com suas afirmações.

II- Sim, em alguns momentos, o autor não observa rigorosamente a norma culta, deixa de usar pontuação padrão em alguns casos, usa contração coloquial “pra”, variação de grau superlativo em um substantivo (coisíssima), entre outras sutilezas. Essa linguagem mais “solta” tem como finalidade a adequação ao estilo dinâmico da narrativa, que reproduz uma conversa telefônica, informal, entrecortada.

III- Esse item é bastante perigoso. Pelo mesmo motivo da questão anterior. Existe um suposto diálogo, pois só temos acesso ao segundo interlocutor porque o narrador reproduz as respostas da esposa. Então, podemos sim dizer que há um diálogo e que uma das partes do diálogo não pode ser vista com exatidão.

5- A partir do final do primeiro parágrafo…

No final do texto, a narrativa nos permite inferir que a esposa começou a aceitar sua argumentação, como no trecho:

“Você quer que eu jure?”. Então, há sinais de que ele jurou e ela acreditou. Para confirmar essa ideia, temos o trecho: “Ha, ha, você é demais. Olha, querida: Alô? Sábado eu estou aí, beijo nas crianças. Socorro. Eu disse, um beijo.

Então, parece que ele teve sucesso na sua estratégia, teve “êxito”, então sua estratégia foi “exitosa”.

Gabarito letra B.

6- O título da coletânea de onde o texto…

O narrador, quanto mais fala, mais fala, mais se compromete. Há diversos indícios de que sua argumentação é inconsistente, falaciosa, mentirosa. O texto sugere que ele não tinha como saber sobre a foto, sobre detalhes como a cor da saia

7- Analise a frase a seguir: “Querida, eu juro que não era eu”…

Essa questão foi idêntica à que usamos para falar do vocativo em nossa revisão de véspera. Como aprendemos na aula de pontuação, o vocativo é um chamamento, uma invocação do interlocutor. Esse termo é marcado por vírgula. “Querida” chama a esposa do personagem, do outro lado da linha, temos um vocativo. Gabarito letra C.

8- Assinale a alternativa que classifica corretamente a função da palavra…

Isso – Pronome demonstrativo.

Como – Advérbio interrogativo.

Você – Pronome de tratamento.

Se – Conjunção Condicional.

Gabarito letra A.

9- Analise a frase a seguir: “[…] Olha, se você estivesse aqui…”

A banca pede a afirmativa que NÃO podemos fazer. Não podemos dizer que “olha” é um pedido literal para que a esposa realize a ação suscitada pelo verbo olhar, não é para olhar, até porque não é possível olhar para o telefone. Este é um marcador discursivo que pede “atenção” ao ouvinte, que solicita que analise o que vai ser dito.

Gabarito letra C.

10- No decorrer do texto, tendo em vista propósitos discursivos, o autor utiliza palavras…

A variação linguística situacional se refere ao contexto, à situação concreta, à adequação da linguagem ao momento, nível de formalidade, familiaridade entre os locutores e outros aspectos da situação comunicativa específica. No caso, temos uma ligação telefônica, informal, dinâmica, registrada numa crônica.

Gabarito letra D.

11. Considerando suas características formais e semânticas, o texto se apresenta como um texto;

O texto é predominantemente expositivo, pois tem como finalidade principal mostrar por que Marte perdeu sua água e ficou diferente da terra. Os textos que partem diretamente de uma pergunta, como é o caso dessa questão, são tipicamente classificados como expositivos-explicativos.

Gabarito letra C (expositivo).

12- Considerando as informações levadas ao texto, é correto afirmar…

Questão bastante capciosa. Logo no começo, o texto usa expressões como “inóspita” e “recurso crucial para o desenvolvimento da vida”. Então, existe uma relação direta entre haver água no planeta e este planeta ser habitável. As diferenças entre a Terra e Marte não devem ser consideradas o tema central do texto, apenas fazem parte da explicação de não haver água lá e haver água aqui e, portanto, a Terra ser habitável e Marte não ser habitável. Então, o gabarito deve ser a letra B.

A letra D é perigosa (As causas de não haver recursos hídricos relevantes em Marte). Parece verdadeira, mas o texto não diz que não há “recursos hídricos relevantes”, diz que Marte é seco e árido, não há água alguma. Veja no texto:

Uma das teorias vigentes é de que a água sumiu do planeta vermelho”. Então, o texto sugere que não há água alguma, não é apenas “água em quantidade relevante”.

…não permite explicar o desaparecimento de TODA A ÁGUA DO PLANETA…

Muita gente considerou essa alternativa correta e é possível que a Consulplan também considere, então já fica aí o contra-argumento.

13- De acordo com o texto, só NÃO constitui um fator que provocou o desaparecimento da água em Marte…

Veja:

“No entanto, um estudo recente feito por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, mostrou que a perda do campo Magnético não permite explicar o desaparecimento de toda a água que existia no planeta.”

“O cálculo incluiu fatores como a temperatura das pedras e a pressão atmosférica. Os resultados mostram que as rochas levaram grande parte da água da superfície para o interior do planeta.

Veja que não há “manutenção das rochas na superfície”, as rochas não ficam na superfície, elas afundam:

“Essas rochas então se afundaram no manto…”

Gabarito letra D.

Obs: essa questão também é bastante problemática, pois não se falou no texto de “pressão atmosférica DAS PEDRAS”, isso macula a alternativa. A pressão atmosférica e as pedras são fatores diferentes! Recorram também (C e D não são fundamentadas no texto)!

14- De acordo com o texto, a Terra não passou por um processo…

Veja:

Diferenças sutis, mas importantes:

Por que a terra não passou por um processo parecido?

Segundo os pesquisadores […] “Marte é um planeta muito menor do que a terra (dimensão da terra), com um perfil de temperatura diferente (temperatura da terra) e uma quantidade muito maior de ferro em seu manto (as propriedades químicas do manto da terra).

Observem que não há “incapacidade reativa em Marte”:

Esses fatores permitiram que a superfície de Marte fosse MAIS REATIVA Á ÁGUA que a nossa…

Gabarito letra D.

15-Analise o trecho a seguir: “Embora a superfície…

Questão direta. “Embora” é conjunção adverbial concessiva, indica uma concessão.

Gabarito letra A.

16- Das alternativas apresentadas, em apenas uma o uso do acento gráfico é aplicado…

Questão idêntica à mostrada na nossa revisão de véspera, até com as mesmas palavras. Vejamos:

Há e É (monossílabo tônicos)

Á-gua (regra da paroxítona terminada em ditongo) e Possível (paroxítona terminada em L, regra geral)

A-pós e Tam-bém (Regra geral das oxítonas – terminadas em A(s), E(s), O(s), Em, Ens (s))

Á-ri-da e i-nós-pi-ta (Todas as proparoxítonas são acentuadas)

Gabarito letra B.

17- “[…] Um estudo recente feito por cientistas…

I- Certo.

Um estudo mostrou [algo]

Um estudo mostrou [que a perda…no planeta]

Um estudo mostrou [ISTO]

II e III- Certos. Aqui, a lógica é parecida, mas a oração subordinada substantiva objetiva direta está em forma reduzida de infinitivo, sem a conjunção QUE:

A perda do campo magnético não permite [Algo]

A perda do campo magnético não permite [explicar o desaparecimento de toda água que existia no planeta]

A perda do campo magnético não permite [ISTO]

A primeira oração é a principal e a segunda é o complemento do verbo “permitir”, uma oração subordinada substantiva objetiva direta.

Gabarito letra A.

18- “ O resto, segundo a pesquisa, foi absorvido pelas rochas de basalto”…

Outra questão IDÊNTICA à que trabalhamos na revisão de véspera.

I – Certo. A oração está sim na voz passiva analítica, pois é formada de SER+particípio. O sujeito paciente é “O resto” e o agente da passiva é “pelas rochas de basalto”.

II- Certo. O sujeito “o resto” sofreu a ação de ser absorvido. Temos sujeito passivo/paciente.

III- Errado. “pelas rochas de basalto” é agente da passiva.

Gabarito letra C.

19- Em “Este processo foi tão inteso que é estimado que a crosta terrestre tenha consumidoum oceano de mais de 3 Km de profundidade…

Tenha consumido é locução do Pretérito perfeito composto do subjuntivo, tempo formado pelo verbo auxiliar TER/HAVER no presente do subjuntivo + PARTICÍPIO

Observe que não há essa classificação entre as alternativas. A banca se equivocou e quis se referir apenas ao “tenha”, verbo no presente do subjuntivo. No entanto, disse claramente no enunciado “a locução destacada”, então não há resposta correta para esta questão.

Peçam anulação.

20- Assinale a alternativa cujo conteúdo apresente a correlação correta entre a palavra e o processo que lhe tenha formado.

Essa questão foi “dada” na nossa revisão de véspera, “dada” literalmente, pois foi cobrada exatamente a mesma palavra que usamos como exemplo de composição por aglutinação:

Embora (em+boa+hora). As palavras se aglutinam com perda de elementos estruturais, trata-se de exemplo clássico de composição por aglutinação.

Gabarito letra B.

“Intenso” não pode ser formada por derivação regressiva, porque esse processo forma substantivos abstratos derivados de ação, não forma adjetivo.

Atmosférica – deriva de “atmosfera” e apenas recebeu sufixo formador de adjetivo.

Desaparecimento– temos derivação sufixal, formando substantivo a partir do verbo ‘desaparecer’.

Então é isso, pessoal. Recebi fotos pouco nítidas, tive até dificuldade de ler algumas partes. Vou alimentar esse artigo quando puder colar os textos, esse é um comentário breve mesmo só para aliviar que está já querendo saber com foi na prova.

Espero que tenham ido muito bem e aproveitado nossa revisão de véspera, que previu muitas questões desta prova!

Grande abraço!

Fonte: Estratégia Concursos

Conquiste sua aprovação de uma vez por todas! Supere os limites, bloqueios e dificuldades que estão te impedindo de alcançar a sonhada nomeação! Clique aqui e saiba um pouco mais!


Confira alguns materiais gratuitos:

Chat online