O professor João Paulo dá dicas para te ajudar a gabaritar na prova!

O edital da Polícia Federal 2018 trouxe várias novidades, mas a que causou maior impacto foi a relevância da matéria de Informática na prova.

Além de o certame dobrar a quantidade de questões em relação ao concurso anterior, de 18 para 36 questões, os tópicos foram ampliados. Serão abordados temas como: Banco de Dados, Mineração, Data Warehouse e Big Data, que eram típicos do universo de Carreiras Fiscais e potenciais assuntos para provas de Auditor e Analista da Receita Federal para o próximo concurso.

Outros temas também foram reforçados, Redes é um exemplo, já que no edital anterior de Escrivão abordava a Arquitetura de TCP/IP e agora passou a detalhar mais quais destes pontos irá cobrar. Outra grande novidade foi a inclusão de assuntos como Programação (Pyhton e R) e aprendizado de máquina, que na verdade estão intimamente ligados ao universo de Big Data, mineração e aprendizado de máquina (Learn Machine).

Para ajudar quem se prepara para o concurso da Polícia Federal o professor João Paulo Orso, preparou uma série de dicas que vão fazer a diferença na sua aprovação:

Big Data

É a análise de um grande volume de informações, que os sistemas de Banco de Dados tradicionais têm dificuldade em processar, ou seja, é um banco de Dados vivo, que recebe novas informações constantemente. O Big Data pode ajudar a empresa a entender melhor o perfil do cliente e, assim, a empresa pode adequar-se às necessidades do consumidor.

5Vs

Uma Big Data deve levar em conta pelo menos os 3 primeiros Vs, embora atualmente sua qualidade fica atrelada aos outros 2.

   Volume

A tecnologia de Big Data deve ser capaz de lidar com o imenso volume de dados existente, imagine a quantidade de dados que apenas uma rede social como o Facebook possui, ultrapassa a casa do terabytes com facilidade, processar esse imenso volume é uma tarefa complexa.

  Velocidade

Como o Big Data trabalha com dados “Vivos”, ou seja, está constantemente recebendo novas informações, ele tem que ser capaz e processá-las rapidamente. Imagine uma operação de compra por cartão de crédito, a aprovação ocorre quase que imediatamente após a solicitação.

 

 Variedade

Em sistemas corporativos a maioria dos dados são estruturados e os Banco de Dados tradicionais conseguem dar suporte, porém nos serviços de Internet, como redes sociais e-commerce entre outros o cenário se inverte e a grande maioria dos dados, cerca de 80%, é composta por dados não estruturados. A ferramenta de Big Data deve ser capaz de tratar ambos.

Dados estruturados: aqueles típicos de Banco de Dados Relacionais, isto é, armazenados em tabelas e que possuem relação direta ou indireta que pode ser consultada com facilidade.

Dados não estruturados: são aqueles que precisam de pré-processamento para adicionar metade dos que ajudem a identificá-los, como imagens, vídeos, áudio, comentários e postagens em redes sociais.

 Veracidade

Pensando em redes sociais sabemos que boa parte das informações são falsas, e por vezes até acreditamos em algumas, agora imagine um sistema que não tem capacidade de discernimento, para melhorar a qualidade da veracidade dos dados análises estatísticas são usadas.

  Valor

O que torna todo o empenho de um Big Data relevante é o valor dos dados obtidos a partir de sua análise.

Conceitos Básicos de Banco de Dados

Normalização:

Outro assunto importante que pode ser abordado na prova da Policia Federal é a modelagem de dados, nesse assunto específico temos que ficar atentos a normalização do projeto de um esquema de Banco de Dados, existem 5 Formas Normais (FN) e mais a BCNF entre a 3FN e 4FN. Para um banco estar minimamente “padronizado” espera-se que esteja pelo menos na 3FN.

1 FN (1NF): Elimina atributos multivalorados e atributos compostos;

2 FN (2NF): Elimina as dependências parciais de chave;

3 FN (3NF): Elimina as dependências transitivas.

E aí? Preparado para ser aprovado? Com essas dicas tenho certeza que você vai mudar de vida!

Fonte: AlfaCon

Chat online