>> Garanta seu Planejamento de Estudos clicando aqui <<

E o que dizer das desculpas e mitos que se criam em torno dos concursos públicos? Sempre há alguém que justifica o fracasso ou a falta de tentativa com argumentos vazios, e é importante identificá-los para que não virem uma crença limitante em seu processo de estudo. Selecionei 5 mitos sobre estudar para concursos públicos para você evitar e algumas técnicas assertivas de estudo. Confira!

1) Só passa “carta marcada”

Chega a ser leviano dizer que os concursos públicos favorecem um grupo determinado de pessoas. Isso é um mito muito comum e uma forma de desprestigiar o esforço daqueles que estudam muito, sendo aprovados ou não. É um mito bem comum entre aqueles que não tentam, seja por incapacidade ou falta de interesse.

Algo comum a todos os aprovados é a dedicação, as horas quase infinitas de estudo e a busca por superar obstáculos – tais como dúvidas, memorização, tempo limitado, etc. Só é aprovado aquele que conhece o processo dos concursos públicos, sabe sobre a idoneidade das bancas organizadoras e acredita, principalmente, em si mesmo.

2) É preciso estudar apenas os assuntos desconhecidos

Este mito leva sempre a reprovação. Sempre ressalto com meus clientes e alunos: todo o conteúdo exigido pelo edital e seus desdobramentos devem ser estudados, praticados e revistos, inclusive aquilo que você domina. Crie uma rotina de estudo com uma metodologia assertiva – como o caso do ciclo de estudos, por exemplo – e considere tudo o que está no edital, dividindo cada assunto ou disciplina por blocos. Não negligencie nenhum assunto.

3) Não tenho tempo para estudar

O tempo é você quem faz. Se você não tem tempo para estudar, saiba que a sua rotina está desorganizada ou que o concurso público não é de fato uma prioridade para você. Organizando o seu tempo entre as demandas pessoais e profissionais e as horas dedicadas, você terá tempo, sim, para estudar, mantendo a sua saúde e a qualidade dos seus estudos.

É mais importante a qualidade do tempo usado do que o tempo disponível em si. O ciclo de estudos, por exemplo, permite que você dedique horas para cada assunto, mas não em dias fixos. Você deve suprir a demanda de estudos por período, abrangendo todo o conteúdo com flexibilidade de horário. Veja mais nesta matéria como criar o seu ciclo de estudos.

4) Dá para estudar só nas horas vagas

Sim, dá para estudar apenas quando você tem tempo. Mas voltamos a questão do “tempo é você quem faz”. E se em uma semana você não tiver “tempo sobrando”? Isso irá comprometer os seus resultados e o seu processo de memorização. A concorrência, tenha a certeza, não estudo apenas quando sobre tempo. Os seus concorrentes mais empenhados estudam de forma organizada e pragmática, com técnicas aplicadas e gestão do tempo – aqui nos meus textos no blog do Estratégia há milhares de dicas e técnicas de estudo comentadas.

5) Todo concurso é igual

Muito pelo contrário: cada concurso público, mesmo que seja da mesma área do conhecimento ou para o mesmo cargo em instituições diferentes, são distintos e possuem um processo de seleção com exigências e aspectos próprios.

É muito comum os concurseiros estudarem para concursos diferentes com disciplinas similares ou para os mesmos cargos, e indico esta atitude se o seu propósito é ter uma carreira pública. Mas não caia neste mito. Cada concurso tem uma banca organizadora, com metodologias diferentes. Os editais de cada concurso são bem específicos. A experiência de se candidatar para um concurso público e outro nunca é a mesma. A dica é aproveitar as semelhanças, caso queira prestar mais concursos, considerando plenamente as suas peculiaridades.

Espero que tenha gostado. Por hoje era isso. Forte abraço e bons estudos!!!

Fonte: Estratégia Concursos

Chat online