>> Garanta seu Planejamento de Estudos clicando aqui <<



Desistir sempre é o caminho mais fácil após a reprovação em um concurso público, pois não exige esforço. Mas, acredite, – não é o único.

Esclareço que esse artigo é destinado ao concurseiro que estuda mesmo – ao turista, recomendo textos sobre os “segredos da loteria“.

Pois apenas aquele que dispensou momentos em família, reuniões de amigos e seu simples repouso – para estudar – sabe a dor do momento da reprovação. É um instante em que, por mais que se levante os olhos para buscar outros caminhos, só se vê 1.

Mas é compreensível que após meses ou anos de estudo e abnegação, logo após a notícia da reprovação surja um natural sentimento de insegurança. Todo aprovado já passou por isso. Mas a questão é: quanto tempo vai durar esse sentimento? Como superar a reprovação em um concurso público?

A resposta para essas questões está diretamente relacionada à maneira como o concurseiro foi reprovado, entenda:

Fiquei muito longe da aprovação

Nessa situação algumas variáveis precisam ser analisadas, dentre elas o nível da prova. Pois uma prova extremamente difícil ou muito longa pode distorcer sua percepção do resultado. Alguns certames sequer preenchem a quantidade de vagas, aliás, um exemplo clássico foi a sucessão de provas para AFRE da SEFAZ-RJ: foram 4 concursos seguidos assim.

Mas nas demais situações, é fundamental:

  • corrigir a prova;
  • revisar os erros;
  • redistribuir a carga horária em função do resultado nas provas;
  • reajustar a metodologia de estudo

Bati na trave

Na minha opinião, essa é a reprovação mais dolorosa. Talvez porque tenha sido minha especialidade…rs

Nesse caso, o maior desafio é de cunho emocional. E fica a grande questão: quanto tempo você se suporta nessa situação?

Existem vários gatilhos emocionais que podem ser acionados, mas o mais prático, sem dúvidas, é já focar no próximo edital. Um dia de ressaca moral até vai, mas uma semana… já começa a atrapalhar. Pois quanto mais se demora o regresso aos estudos, maior é a perda progressiva de:

  • memória de conteúdo;
  • ritmo de estudo;
  • motivação;
  • foco

Portanto, ao chegar tão perto, é fundamental que o concurseiro saiba equilibrar a pressão do ambiente externo (cobrança sobre resultados) com o interno (emocional). E, curiosamente, poderão surgir ofertas sedutoras de emprego nesse momento, além de conselhos de especialistas que não sabem nada de concursos.

Mas saiba que uma das coisas mais tristes é encontrar amigos de estudo que estavam tão bem ou melhores que eu, mas sucumbiram à pressão desse momento. Um verdadeiro desperdício.

Portanto, além das técnicas pós-prova acima, recomendo também que o estudante em alta performance faça o seguinte:

  • resolução massiva de questões;
  • registro e revisão dos erros por assuntos;
  • confecção de resumos;
  • leitura de lei seca

E não posso deixar de alertar: uma das coisas mais inúteis que um candidato pode fazer nesse momento é ficar remoendo como sua vida seria diferente se tivesse marcado outra opção no gabarito.

Gratidão

Algo que muda o estado mental de maneira vigorosa é adotar uma postura de gratidão.

Acredite, dispor de saúde e meios de estudo é uma dádiva. Nem todos possuem condições de melhorar de vida por conta própria, como o estudo para concursos público propicia.

E se você chegou a esse texto, é bem provável que alguém lá em cima queira lhe mostrar que existe um caminho fácil e sem obstáculos – a desistência. Mas que, talvez, esse caminho não seja para você.

Bons estudos,

Coach Rafael Moreno

“Somos somente paz e amor, e todo Universo conspira a nosso favor.”

Fonte: Estratégia Concursos

Chat online