>> Garanta seu Planejamento de Estudos clicando aqui <<



Inidicação de Wagner Rosário para a CGU

Bom dia senhoras e senhores! Há alguns minutos o presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou em seu twitter que o ministro Wagner Rosário permanecerá à frente da Controladoria-Geral da União. Hoje vou explicar o que isso significa para a Carreira de Finanças e Controle e quais são as expectativas do próximo concurso para a casa.

Nos últimos anos tivemos diversas mudanças na organização da CGU.

A manutenção de Wagner Rosário à frente do órgão passa a mensagem de que os principais projetos da CGU devem continuar. A CGU não é um órgão que ocupa muitas manchetes na imprensa, mas é responsável por projetos e atividades relevantes. Como exemplo posso citar as auditorias e fiscalizações de recursos federais, tanto no Poder Executivo quanto nos Estados e Municípios que recebem recursos por transferências voluntárias. A CGU tem superintendências em todas as capitais do país, nas quais trabalham servidores que fazem auditorias nos órgãos federais, estaduais e municipais quanto ao uso de recursos federais.

Além disso, a CGU também é responsável pela implementação e monitoramento do cumprimento da Lei de Acesso à Informação. Essa lei é muito importante para quem está estudando para concursos do Poder Executivo Federal, pois ela possibilita os pedidos de acesso, por meio dos quais frequentemente conseguimos informações sobre os preparativos para novos concursos. As atividades de ouvidoria do Poder Executivo também estão na CGU, juntamente com as atividades de transparência, incluindo o famoso Portal da Transparência.

Logo após a eleição de Jair Bolsonaro foi cogitada a transferência das funções da CGU para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, sob o comando de Sérgio Moro, mas posteriormente o presidente eleito voltou atrás, admitindo a possibilidade de a CGU permanecer como um ministério, mantendo suas funções. Ainda não sabemos se haverá alguma mudança em relação à estrutura e ao trabalho exercido pela Controladoria, mas o anúncio da manutenção de Wagner Rosário nos dá indícios de que não deve haver alterações significativas.

Na gestão do ministro Wagner Rosário tivemos uma série de mudanças significativas para a carreira. A gestão do órgão evoluiu bastante, com a instituição de medidas importantes, como o Programa de Gestão de Demandas (que envolve o mapeamento de processos, a instituição do ponto eletrônico e do trabalho remoto), a melhoria na estrutura das superintendências, o início do processo de mudança da sede em Brasília para um prédio que tenha melhores condições, entre outras coisas.

“Certo professor, mas e o próximo concurso?”

Wagner Rosário é Auditor Federal de Finanças e Controle (sim, é servidor de carreira da CGU!) e já falou em diversas ocasiões que está lutando pela realização de um novo concurso com urgência, já que o último concurso da CGU ocorreu em 2012, e expirou em 2014. Na ocasião foram oferecidas 250 vagas para o cargo de Auditor. A nomeação foi imediata e ao longo da validade do certame foram nomeados mais de 400 Auditores, nas áreas de Auditoria Geral, Auditoria de Obras, Administrativa, Comunicação, Correição, e Prevenção da Corrupção e Ouvidoria.

Os concursos da CGU são muito interessantes porque sempre abrem oportunidades em diversas áreas diferentes, contemplando diversos perfis.

Já são 4 anos sem nenhuma nova nomeação. Além disso, o concurso de 2012 contemplou apenas o cargo de Auditor, não tendo selecionado Técnicos Federais de Finanças e Controle. O último concurso para Técnico ocorreu em 2008!

Por enquanto ainda temos poucas notícias concretas sobre a realização de um novo concurso, mas acredito que a manutenção de Wagner Rosário à frente do órgão apressará esse processo. Assim que eu tiver mais notícias publicarei por aqui!

Fonte: Estratégia Concursos

Chat online